Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Diapositivo5.JPG

 Fomos a uma das Feiras do Tapete de Arraiolos (a que é feita em espaço coberto, no outono). Adorámos ver como se fazem estas peças tão valiosas do artesanato português...

Diapositivo3.JPG

 Uma das artesãs presentes no certame recebeu-nos muito bem e ensinou-nos a técnica do ponto de Arraiolos. Estivemos muito atentos mas ainda não conseguimos usar a agulha...Ficará para uma próxima vez, quando visitarmos a feira do tapete, que se realiza pelas ruas desta vila, no verão!

 

Diapositivo2.JPG

 A artesã ensinou-nos também que os tapetes de Arraiolos são bordados em lã, sobre uma tela. O Bordado de Arraiolos dá à tapeçaria a resistência e consistência convenientes e permite a reprodução fiel de todos os desenhos geométricos e da maior parte dos desenhos artísticos.

Diapositivo1.JPG

 Rapidamente percebemos que os tapetes têm repetições de figuras e as crianças disseram logo "Faz padrão!" 

 

A mãe recordou que a Matemática é a ciência dos padrões. A essência da Matemática consiste em procurar padrões: procurar relações e repetições, descobrir a regularidade.

 

 A organização da feira pensou as atividades para as crianças ao pormenor ...Até os desenhos disponíveis para pintar eram as figuras típicas dos tapetes de Arraiolos. As tarefas que envolvem padrões permitem adquirir uma melhor compreensão dos conceitos, comunicar os seus raciocínios e fazer conexões com outros tópicos matemáticos.

Diapositivo4.JPG

Adorámos encontrar, na área das crianças, um espaço com jogos tradicionais (portugueses e de outros países) dinamizados pela empresa JOTRA. Os pais e os avós divertiram-se muito nesta área. Brincámos com jogos que também tinham padrões.

Brincar e observar padrões permite um tipo de raciocínio matemático que ajuda as crianças a resolverem bem problemas e a desenvolverem o pensamento abstrato.

Diapositivo6.JPG

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

Diapositivo1.JPG

 

Fomos visitar o avô Nônô e ele pediu-nos ajuda para apanhar as folhas que se espalhavam pelo jardim...

Foi aí que perguntamos: Porque caem as folhas das árvores? E porque mudam de cor?

IMG_20141122_154507.jpg

As plantas que perdem as folhas, denominadas plantas de folha caduca, como o carvalho, o plátano, a macieira, a videira, etc., fazem-no para se proteger do frio e de períodos com menos luminosidade. Desta forma as folhas não ficam queimadas e a distribuição da água e nutrientes necessários não fica comprometidas.

Diapositivo2.JPG

 

A perda das folhas é gradual, nenhuma planta perde todas as folhas ao mesmo tempo. Forma-se um tecido cicatricial (uma cicatriz) que interrompe gradualmente a passagem de água e nutrientes minerais do caule para a folha. O pecíolo (“pé da folha”) começa a secar e com a ajuda do vento, ou apenas da força da gravidade, a bainha (base do pecíolo) solta-se do ramo e a folha cai.

 

Diapositivo4.JPG No Outono, a quantidade de clorofila (uma substância química que dá às plantas a cor verde) começa a diminuir e o verde começa a esbater-se.

Nas folhas existem outros pigmentos que não se visualizam porque são “mascarados” pela clorofila porém, no Outono, quando a clorofila começa a desaparecer dá lugar a outros pigmentos como a luteína, um pigmento amarelo. Os carotenoides, que dão a cor  avermelhada e alaranjada às folhas também se começam a ver com o desaparecimento da clorofila.

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

 Fomos "investigar" a Feira do Chocolate de Grândola e descobrimos muitas coisas novas...

 

Diapositivo4.JPGO cacaueiro (Theobroma cacao) é uma planta originária da floresta tropical húmida da América do Sul. No entanto, atualmente, as maiores produções de cacau encontram-se em solo africano.

A sua árvore chega a medir cerca de 4 a 12 metros de altura. O fruto é constituído por uma cápsula que contem cerca de 25 sementes.

Diapositivo1.JPG

 Foi com muito agrado (para os miúdos e para os graúdos) que encontrámos o Centro de Ciência Viva do Lousal,muito bem representado pelos seus sempre sábios, simpáticos e originais colaboradores. Foram eles que nos ensinaram a Química do chocolate...

 

feira chocolate.jpg

 

O chocolate é uma mistura de massa de cacau com açúcar refinado, manteiga de cacau, aromatizantes e emulsificantes.

A primeira coisa que notamos, quando abrimos uma barra de chocolate, é o delicioso aroma. A Química explica: ele é formado por mais de 200 tipos de compostos voláteis produzidos enquanto as sementes do cacau são fermentadas e torradas.

Diapositivo6.JPG

Um dos primeiros componentes estudados do cacau foi a teobromina. Esta palavra vem do grego e significa “alimento dos deuses”. A teobromina é um alcaloide que possui propriedades diuréticas e vasodilatadoras, sendo ainda um estimulante cardíaco.

 

 Outras moléculas importantes do chocolate são a cafeína e a feniletilamina. A cafeína atua como estimulante. A feniletilamina é conhecida (sem provas conclusivas ainda) como um melhorador do humor e como anti-depressivo.

 

 Há até uma interpretação artística da estrutura molecular de teobromina. A molécula de chocolate, da Chocolatier Pierre Marcolini  com sede em Bruxelas, criado pelo designer belga Meylaerts Dirk.

Diapositivo7.JPG

 

 Entre a Biologia e a Química do cacau também tivemos tempo para nos divertirmos com as brincadeiras que a Feira do Chocolate de Grândola disponibilizou para as crianças.

Diapositivo3.JPG

 Aprendemos também que a ingestão de chocolate liberta endorfinas no cérebro, o que provoca bem estar...Não sabemos se foi por isso mas os Pais ficaram muuuiito felizes quando se reencontraram com as bombocas da sua infância.

Diapositivo5.JPG

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)







Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D